22 de outubro de 2014

A dieta paleo e o acne... Por Pedro Rodrigues (Guest Post)

Há mais de uma década que faço tratamentos médicos para o acne e a dermite seborreica apenas com sucesso temporário. Embora a terapêutica de carga com antibióticos como a minociclina tenha geralmente resultados francamente bons, a verdade é que mal inicio o tratamento de manutenção com cremes e champôs os sintomas voltam a aparecer rapidamente.

Um dia decidi ir ao Pubmed (um dos principais sites de artigos médicos) pesquisar quais eram as últimas recomendações a nível do tratamento do acne. E o que descobri não foi particularmente animador.

Em primeiro lugar, embora a minociclina continue a ser na prática usada como primeira linha no tratamento do acne, a sua toma é desaconselhada de forma crónica porque ao longo das últimas décadas têm vindo a ser detectados casos de resistência aos antibióticos nas bactérias causadoras de acne (Propionibacterium acnes) e noutras bactérias mais perigosas (ora bolas!).

Em segundo lugar, e bastante assustador: o acne tem sido apontado como potencial marcador de risco cardiovascular.

Como se pode ver neste artigo, o acne foi associado a dois hábitos dietéticos: o aumento da carga glicémica (calculada a partir da quantidade de hidratos de carbono e do seu índice glicémico) e dos lacticínios insulinotrópicos (isto é, estimuladores da produção de insulina).


Neste artigo os autores apresentam algumas das possíveis explicações moleculares para este fenómeno, às quais eu vos vou poupar. Depois apresentam um conceito a que chamam os 'Milk Giants', aqui abreviados como MG. Os MG são os seguidores da dieta ocidental (nós, portanto) e caracterizam-se por:

* Maior altura;
* Maior IMC;
* Maior frequência de miopia de início juvenil;
* Maior resistência à insulina;
* Maior incidência de diabetes do tipo 2.
* Maior incidência de síndrome metabólica (obesidade, hipertensão, aumento do colesterol e triglicéridos, esteatose hepática, entre outros).

8459.png

Em contraponto, indivíduos de tribos que consomem uma dieta do tipo paleolítico (sem cereais ou lacticínios) parecem não ter as características supracitadas dos MG. Foi aqui que comecei a interessar-me pela 'dieta paleolítica' e decidi estudar mais sobre o tema. 

8466.png

A partir de 2010 começaram a aparecer artigos relacionando o acne com a dieta, ligando-o não a alimentos específicos (como antes se pensava) mas antes a 'tendências' alimentares. Actualmente a dieta com alta carga glicémica e com consumo de lacticínios (em particular o leite) parece já ser aceite como um factor a ter em conta (não necessariamente causal) no aparecimento e agravamento do acne.

8500.png

No sentido de descobrir mais sobre o assunto comecei a fazer pesquisas mais específicas, sempre relacionando com o efeito no acne. É claro que há estudos sobre os efeitos deste tipo de dieta em várias entidades diferentes, mas não era esse, pelo menos de momento, o meu objectivo.

A ligação entre a insulina e o acne parece ser confirmada por esta revisão, concomitantemente com a relação do acne com a hormona de crescimento (influenciada, teorizam os autores, pelos componentes do leite). Deparei-me também com este artigo, que discute as vantagens de dietas muito pobres em hidratos de carbono (<50g por dia).  Mais uma vez o acne está na lista de condições com potencial melhoria com a adopção desta dieta.

An external file that holds a picture, illustration, etc.
Object name is ejcn2013116f1.jpg

É claro que estes dados ainda não são absolutos, seja porque se tratam de estudos pequenos como este - que mostra a diminuição do acne após dez semanas de dieta pobre em hidratos de carbono - ou porque são estudo restrospectivos (isto é, baseados em dados colhidos anteriormente e com outros objectivos que não esta pesquisa).

Em conclusão, citando este extenso artigo de revisão:

* Nos últimos quarenta anos foram feitos múltiplos estudos sobre a influência da dieta na patogénese do acne. Falta, contudo, a publicação de um estudo intervencionista, aleatorizado, duplo cego, com um grupo de controlo.

* Como ponto de partida, há uma tendência para estudar populações não ocidentalizadas visto estas não terem acne. A sua dieta não inclui alimentos processados, lacticínios, açúcares e óleos refinados e é essencialmente constituída por frutas, vegetais, carne e peixe.

* Os estudos apontam para o aparecimento do acne após a adopção da dieta ocidental nestas populações, eliminando a etnia como o único factor importante da etiologia e reforçando a hipótese da relação dieta-acne.


Fazer estudos científicos credíveis na área da nutrição é extremamente difícil. Idealmente, são precisas centenas ou milhares de pessoas, a seguir estritamente uma determinada dieta e um determinado programa de exercícios (para não ser um factor de confundimento) durante anos ou mesmo décadas. Sem estas características é difícil afirmar peremptoriamente que uma determinada dieta tem ou não benefícios.

No entanto, a verdade é que a pirâmide dos alimentos clássica tem vindo a sofrer alterações consecutivas e a aproximar-se, até certo ponto, das características da alimentação paleo, com a recomendação do aumento do consumo de gorduras e da diminuição do consumo dos produtos lácteos (bem como da ingestão de hidratos de carbono refinados).


Passando à minha experiência em particular durante estas já três semanas de dieta:

Esta não é uma dieta particularmente fácil de seguir. Se por um lado a ideia de comer carne à vontade e ovos ao pequeno-almoço me agrada, por outro eu sempre adorei hidratos de carbono - não necessariamente os doces, mas o pão, o arroz e a massa.

Se eu tivesse fome, coisa que acontecia com alguma frequência, era só fazer um pão com queijo ou uma taça de cereais e o problema ficava resolvido (o que para alguém preguiçoso como eu era perfeito). Esta dieta não me permite fazer isso. Tenho de ter algum planeamento para não ser apanhado desprevenido sem nada para comer (os frutos secos dão-me uma grande ajuda nisso) e tenho de me dar ao trabalho de preparar e planear as refeições com algum cuidado. Uma seca!

Não sinto que tenha ficado com menos ou mais energia e o meu peso manteve-se até agora estável. A nível do acne notei uma grande melhoria na primeira semana. Contudo, concluo agora que foi pura coincidência porque de momento estou absolutamente na mesma. No entanto, tendo em conta que habitualmente se considera que o tratamento do acne (mesmo com comprimidos) demora cerca de seis semanas, essa questão ainda não é particularmente conclusiva.

Só me resta continuar esta experiência por mais algum tempo e pensar que mesmo que não obtenha resultados ao nível do acne ando a fugir dos alimentos processados (que são maus com toda a certeza). It's something!


Pedro Rodrigues tem o mestrado em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa. Está actualmente a integrar o ano comum do internato médico. Encontra-se na terceira semana de dieta paleo e começa a notar algumas mudanças consistentes no seu acne.

14 comentários:

  1. Olá Joana :) Parabéns pelo blog e pela semana temática! Estou a gostar muito de todos os testemunhos, tanto que decidi pesquisar mais sobre dieta paleo depois de fazer o Harrison (sim, essa coisa que ninguém me disse que existia quando entrei na faculdade!). Descobri que gosto muito de cozinhar este ano (e não é só porque assim posso não estudar durante algum tempo): já fiz várias das tuas receitas mas nunca fiz nenhuma de queques! Mas vou fazer, prometo, e tiro fotos!
    Quanto a escolha da especialidade: segue o teu coração. Frase pirosa mas já não me sobram muitos neurónios! Tenho a certeza que os teus doentes vão agradecer uma Médica como tu!
    Um beijinho, Cristina

    ResponderEliminar
  2. Excelente post. De facto, deve ser muito difícil tirar resultados realmente conclusivos nestas matérias, e a nossa experiência pessoal não é necessariamente transponível para outras pessoas. No meu caso, que tive acne até aos 30 anos, só desapareceu quando descobri (nessa mesma idade) que era intolerante à lactose e deixei de comer laticínios. Mas noutros casos com certeza não será igual.

    Tenho uma pergunta para o Pedro, se ele me souber responder - qual é o racional científico do evitamento das leguminosas prescrito pela dieta paleo? Nunca encontrei uma resposta para isto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ana o Pedro não faz ideia e nenhum dos artigos que ele viu explorava essa parte - os artigos parecem categóricos que o problema é dos hidratos de carbono, mas não falam especificamente das leguminosas. No entanto, encontrei este site que me pareceu muito útil:

      http://thepaleodiet.com/beans-and-legumes-are-they-paleo/

      O que acho engraçado nesta questão da dieta paleo é que embora seja uma dieta 'primitiva' é extremamente científica - talvez a dieta mais científica de todas. Eles chegam ao ponto de explorar os constituintes nutricionais dos alimentos, é muito interessante (não o suficiente para eu deixar de apreciar uma boa feijoada, mas talvez o suficiente para eu passar a comê-la menos vezes) ;)

      Eliminar
    2. Deixo esta resposta a todos os que tem duvidas sobre o consumo ou não de leguminosas na dieta paleo. As leguminosas são todos os frutos de vagem: feijão, grão, ervilha, amendoim, etc. que fazem parte de um grupo de alimentos chamados FODMAPs (sigla inglesa para Oligosacarídeos, Dissacarídeos, Monosacarídeos e Polióis Fermentáveis) que agravam (juntamente com o sedentarismo) a SII (sindroma do intestino irritável), doença comum nas dietas ocidentais e cuja sintomatologia se traduz em dor abdominal, gases, ventre inchado e alterações nas evacuações (variando entre diarreia de prisão de ventre). Os sintomas podem muitas vezes ser debilitantes e levam a uma reduzida qualidade de vida.
      Ora nossos antepassados caçadores/recolectores só ocasionalmente comeriam leguminosas e frutos consoantes a sua disponibilidade sasonal. Como estes alimentos provenientes da agricultura moderna já não tem geneticamente, nada a haver com os originais, esta é a principal razão da sua não inclusão na dieta páleo.
      Cumprimentos.

      Eliminar
  3. Olá, pois eu (quer dizer a minha dermatologista) tem a solução para o vosso/(meu ex) problema :)
    Isotretinoina!
    Sra Drª faltou a essa aula??? ;)
    Adeus acne, adeus seborreia... tudo, tudinho... fiquei com uma pele de pêssego! :)
    Com 33 anos descobri a única médica que me devolveu a minha autoestima!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Longe de ter faltado a essa aula, somos versados no tema ;) O problema da isotretinoína é que só pode ser usada como dose de carga por um período de até dois anos, depois entra em acção a terapêutica de manutenção (que não existe). O Pedro também já tomou isotretinoína e foi muito eficaz, mas quando parou regressou novamente. Além disso não é propriamente um fármaco lindinho, tem efeitos secundários chatos (principalmente nas mulheres, em que é altamente teratogénico) e obriga a fazer análises para vigiar a função hepática ;) Tudo isto para dizer que é um fármaco bom, mas que tudo o que é bom acaba ;)

      Eliminar
  4. Ah, e isto tudo sem dietas, nem sacrifícios, só mesmo por cerca de 30 euros por mês :)

    ResponderEliminar
  5. A dieta paleo também será eficaz a controlar a esteatose hepática?

    ResponderEliminar
  6. Olá, sim eu fiz na primeira vez por um período de 6 meses 30 mg/dia. Depois parei 6 meses (no verão) e lá voltou o acne, mas menos.
    Voltei a fazer mais 6 meses, e parei, ao fim de 2 meses tinha acne novamente, mas só na zona do maxilar e seborreia no nariz (asas do nariz).
    No inverno voltei a fazer, mas desta vez 8 meses, e nunca mais veio acne. :)
    Por isso ao fim de 3 anos fiquei sem acne :) :)
    O que noto é q a seborreia no nariz volta, mas uso um creme com ácido glicólico e melhoro.
    Claro que todo este tratamento é seguido analiticamente, e pela dermatologista :) Ah e não se pode engravidar!! Mas tb não há problema, pois já tenho 2 crias que me chegam :)

    Bjkas e tudo de bom :)
    Adoro o teu blog!!!! :)

    ResponderEliminar
  7. O acne é um problema irritante :P agora já não tenho muito, mas cheguei a ter... Bastante.
    Ir procurar uma solução e descobrir o aumento do risco cardiovascular deve ser frustrante. Odeio quando pesquisas na internet não dão os resultados esperados. Acho que era suposto o google ter sempre a solução.
    (Pubmed para vocês, neste caso :P mas não tem letrinhas coloridas.)
    "Milk Giants", por que é que eu não gosto nada desse nome? :P ainda por cima acho que a junção de conceitos relacionados com lacticínios e com tamanho tem patente registada pela Olá. Isso quer dizer que só a Nestlé é que pode fazer uma cópia foleira ;)
    Acho que vou eliminar completamente os lacticínios e produtos processados só para não ser isso. E a abreviatura MG parece ter outro significado propositadamente. Não estou a gostar nada desta história :)
    É desagradável ler uma lista com a qual preferes não ter nada em comum e ver, sei lá, alguma coisa que tens em comum. Porcaria da miopia :P de resto até estou contente por ter uma razão para ficar feliz por não ser mais alta (vou pensar nisso enquanto tiver de dar cinco passinhos por metro que corro, tenho a certeza de que ajuda).
    Gostei imenso destas imagens apelativas todas, quase que batem as tuas fotos de coisas comestíveis ;)
    Por acaso quando fui a uma dermatologista por causa do acne ela disse que "quanto aos alimentos... O tão mal afamado [caracterização acrescentada por moi para dar mais dramatismo] chocolate não faz mal em si, mas é melhor limitar a 2 quadradinhos ao fim‑de‑semana porque tem muita gordura e açúcar". Eu achei um bocado estranho - se não tem nada em particular que piore o acne, por que é que de todos os alimentos existentes vai excluir precisamente esse? Há alimentos com maior quantidade de gordura, de açúcar e dos dois, não percebi... Se calhar era uma necessidade de responder ao mito (sem dar carta branca para o chocolate). Como se eu fosse desistir da frequência com que engulo o meu noventaenoveporcentozinho. Quero lá saber de ser borbulhenta. :P
    Nem é preciso irmos tão longe, para relacionar o acne com o consumo de hidratos basta olhar para aquele miúdo nojento dos Simpsons que tem uma cara sebosa e voz de arranhar cartão ou película com unhas afiadas. Porque ele tem cara de quem come batatas fritas. Obviamente.
    Realmente deve ser difícil fazer estudos nesta área, nem toda a gente se sujeita :P
    Uma coisa que parece mais complicada nesta dieta é mesmo o desenrascar rápido. Aquilo a que a maioria das pessoas recorre é bolachas, pão ou cereais. E voltamos ao café. Mas já comentei isso 2x e temo parecer uma sanguessuga de comparações, portanto é melhor continuar :P
    Acabei por ficar curiosa com os resultados finais desta "experiência"! :)
    (Já disse que o último parágrafo a itálico é BRILHANTE? Por que é que TU não tiveste direito a um? Eu sei que já toda a gente te conhece, mas ia ser muito mais giro. Então a última frase, não sei porquê, tem imensa piada. Imagino uma voz grossa de narrador a dizê-la num tom expressivo de publicidade. Podias por uma gravação sonora com uma voz grossa de narrador a dizê-la num tom expressivo de publicidade.)
    (Mas afinal houve mudanças consistentes no acne ou não? No post não vejo nada que digo isso, só na conclusão. Assumo que possa confiar nalguém com uma voz séria de narrador :P)

    PS: depois de ler os comentários tenho a dizer que: seborreia é uma palavra demasiado hilariante para não ser usada mais frequentemente, nem que seja com significados alargados; "pele de pêssego" é a melhor expressão de sempre; eee "depois entra em acção a terapêutica de manutenção (que não existe)." Não me perguntes por que é que tem piada, mas tem. Imensa.

    ResponderEliminar
  8. Boa Tarde,

    Dei com o vosso blog e especialmente com o tema acne relacionado com a dieta paleo. Como sofro de acne, que já tratei com isotretinoína e não resultou e por último fiz o antibiótico minociclina, que deixei há muito pouco tempo, por isso os resultados ainda estão bons.
    O Dr. disse-me que a acne estava relacionada com a dieta especialmente com os lacticínios. Eu efectivamente já não bebo leite, mas continuo a comer outros lacticínios, como os iogurtes e alguns queijos.

    Gostava de saber se a Dieta paleo foi mesmo a solução para os problemas de acne do Pedro?
    Queria mesmo evitar que a acne me volte a atacar!

    Muito obrigada pela atenção.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá!

      Sim, a dieta tem sido eficaz. Não está brilhante, mas está bem melhor. Ajuda bastante, de facto :) Eu continuo a comer iogurte, queijo e manteiga e não noto diferença no meu acne, mas o Pedro nota bastante no dele e efectivamente nos artigos científicos que usámos falam do papel dos lacticínios em geral. Mas creio que cada pessoa funcionará de forma diferente :)

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...r: 0" />